Tributação para o comércio

TRIBUTAÇÃO PARA COMÉRCIO

Todas as pessoas que abrem um comércio têm dúvidas sobre as tributações associadas a ele. Ainda mais quando se trata de um comércio varejista. Muitas pessoas se confundem no meio do caminho e acabam deixando de pagar os impostos por falta de conhecimento, o que, a longo prazo, acarreta em milhares de problemas para o estabelecimento.

Para evitar isso, é preciso estar ciente sobre a tributação para comércio e aprender tudo sobre estes impostos a fim de garantir que o seu comércio não tenha problemas futuros com a Receita Federal por conta do pagamento indevido. Para te ajudar com isso, elaboramos este artigo, onde você esclarecerá todas as suas dúvidas acerca deste assunto.

POR QUE PENSAR EM IMPOSTOS?

Quase todas as pessoas que abrem um comércio pensam apenas na lucratividade e esquecem uma parte essencial. Portanto, a abertura de um comércio muitas vezes acontece sem o menor planejamento, o que diminuirá gradativamente as chances de sucesso do seu negócio.

De acordo com o IBGE, 22% de todos os comércios fecham as portas após dois anos. Para fugir desta porcentagem, é necessário planejar, e isso inclui pensar na tributação.

QUEM DEVE PAGAR IMPOSTOS?

Qualquer pessoa que tenha um negócio baseado em varejo deve pagar o ICMS, mas este não é o único imposto que você deve pensar, há também o IRPJ, PIS, PASEP e o INSS. No fim das coisas, seja grande ou pequeno, seu comércio irá pagar os mesmos impostos, mas o que realmente vai mudar é o método de recolhimento dos mesmos.

IMPOSTOS PARA COMÉRCIO: O QUE VOCÊ PRECISA SABER

Antes de falar sobre todos os impostos, é necessário entender sobre regimes tributários que são os principais responsáveis pela definição do valor que seu comércio deverá pagar em impostos. Começando pelo Simples Nacional, que garante o recolhimento de diversos impostos por meio do DAS (Doc. De Arrecadação do Simples Nacional).

Este documento inclui o recolhimento de impostos, tais como: Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ), também inclui a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, além disso, tem a Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL). Também agrega o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), PIS/Pasep. Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de comunicação (ICMS) e ISS. O simples Nacional é indicado especialmente para pequenas e microempresas. Caso você escolha para os impostos do seu comércio por esta única guia, você pagará uma alíquota única, calculada de acordo com a porcentagem do faturamento obtido pelo seu comércio.

O valor mínimo estabelecido por lei é de 4% do faturamento para comércios que conseguem faturar até R$ 180 mil por ano, e o máximo de 19%.

Outro regime tributário muito conhecido é o LUCRO REAL, a qual a tributação para comércio é voltada para grandes empresas.

EXISTEM OUTRAS OPÇÕES?

Sim, no caso de o Simples Nacional não funcionar para você, opte pelo LUCRO PRESUMIDO, mas tenha em mente que o pagamento dos impostos por meio deste regime será um pouco mais complexo do que o Simples Nacional, por conta disso, aconselhamos que você busque um contador.

CONTE COM A AJUDA DE UM PROFISSIONAL DE CONTABILIDADE

Para aprender melhor sobre o regime tributário de seu comércio sem correr o risco de pagar indevidamente as tributações, você pode solicitar a ajuda de um profissional de contabilidade para lidar com este ramo por você. O profissional de contabilidade irá levar em consideração as possíveis deduções associadas com a legislação estadual e fatores que possam acarretar em uma diminuição do valor a ser pago, por meio de um planejamento amplo e detalhado.

Leave a Comment